gamerslance.com

Persona 5 Royal - Explicação do final e da nova parte


Muitos jogadores estarão se perguntando sobre o final do Persona 5 Royal ou talvez gostariam de um estudo simples sobre ele. Nós da Binfogamer.com explicamos a você hoje os novos finais e a nova parte do enredo.

Desnecess√°rio reiterar que este artigo cont√©m spoilers pesados, se voc√™ quiser informa√ß√Ķes sobre Persona 5 Royal, consulte nosso wiki.

Se voc√™ est√° procurando algo mais direto, sinta-se √† vontade para consultar nosso guia que explica como desbloquear o novo semestre e o novo final.




Dividimos todos os destaques do Persona 5 Royal um de cada vez, at√© mesmo citando algumas de nossas pr√≥prias especula√ß√Ķes.

N√£o se preocupe, iremos especificar as partes em d√ļvida no texto, para lhe fornecer informa√ß√£o de qualidade sobre o final deste magn√≠fico t√≠tulo.

A verdadeira identidade de Kasumi Yoshizawa (Violet)

Uma das reviravoltas mais importantes na trama √© a verdadeira identidade de Kasumi Yoshizawa, ou se voc√™ preferir Violet para os Ladr√Ķes Fantasmas.

Numerosas pistas estão espalhadas ao longo da história sobre este misterioso personagem não presente na versão original do jogo.

Como j√° mencionado em nosso guia para Cinderela, Kasumi n√£o √© realmente quem diz ser. O verdadeiro nome da menina √© na verdade Sumire, que, ap√≥s perder sua irm√£ mais velha Kasumi em um acidente, recebeu a ajuda de Takuto Maruki (verdade), sendo transformada em todos os aspectos neste √ļltimo.

Takuto Maruki usou Sumire como cobaia para testar seus novos poderes e ao mesmo tempo fazê-la feliz, sendo naquele momento esmagado pelo peso que a morte de sua irmã representava para ela.


No final do jogo podemos ver como Sumire cumprimenta a protagonista e vai na direção oposta à dela, agora confiante em si mesma e pronta para novos desafios.



A hist√≥ria de Takuto Maruki e suas motiva√ß√Ķes

Após sua aposentadoria da Shujin Academy em 18 de novembro, Takuto não aparecerá até a nova parte de Persona 5 Royal.

Vamos resumir o que aconteceu cronologicamente dentro da trama.

Takuto Maruki foi um brilhante estudante de pós-graduação engajado no campo experimental da ciência psicognitiva, que viu todo tipo de coisa.

A família de sua noiva, Rumi, é brutalmente assassinada e leva a garota a um profundo estado de depressão, do qual ela mal consegue falar.

Incapaz de suportar esta injustiça, algo clica dentro de Takuto e ali mesmo ele começa a manifestar o poder de sua Pessoa pela primeira vez, Azatoth.

Infelizmente, Rumi perde a memória e Takuto não sabe realmente o que aconteceu, sendo a primeira vez que ele usa esse poder misterioso. Ele então decide abandonar sua ex-namorada, agora incapaz de reconhecê-lo, para livrá-la de uma possível recaída futura.

As desventuras do jovem doutorando não param por aqui, na verdade suas pesquisas sobre o assunto são interrompidas por motivos que desconhecia. Atrás da desculpa da ausência de evidências, a universidade dá um basta na pesquisa de Takuto, que está ainda mais motivado a seguir seu caminho de forma menos convencional.

Na verdade, foi o plano orquestrado por Masayoshi Shido, que se apropriou de sua pesquisa para aprofundá-la em Wakaba, a mãe de Futaba. O laboratório de pesquisa a Odaiba assim, permanece abandonado, tornando-se o Palácio de Takuto Maruki neste exato momento, embora inconscientemente.



Continuando a usar os poderes de sua persona Azatoth, ele conhece por puro acaso uma garota psicologicamente instável, chamada Sumire Yoshizawa. Ele então decide aliviar sua dor, cumprindo seu desejo de glória falsa e alienação da realidade.


O Plano Brilhante do Doutor

O objetivo do conselheiro escolar √© coletar os desejos do maior n√ļmero de alunos de Shujin para apresentar a pesquisa ao professor que deveria aprovar sua tese.

Para fazer isso, ele tamb√©m precisa coletar informa√ß√Ķes dos Ladr√Ķes Fantasmas, pois eles s√£o alunos.

Durante suas sess√Ķes m√°gicas, Takuto consegue obter as informa√ß√Ķes necess√°rias e conhecer os desejos de cada membro do grupo, exceto Goro Akechi, que n√£o frequenta a Academia Shujin.

Na verdade, Takuto j√° estava ciente da identidade dos Ladr√Ķes Fantasmas da hist√≥ria de Kamoshida, tendo visto o Coringa, Ann e Ryuji retornando do Metaverso.

Em 18 de novembro, Takuto abandonará a Academia Shujin, fazendo um discurso para os alunos pedindo-lhes que evitem a dor e a negatividade e permaneçam em forma.

Em 24 de dezembro Takuto apresenta sua pesquisa ao professor, que a menospreza, convidando-o a não se meter em Masayoshi Shido. Só então, Yaldabaoth aparece, causando a corrupção da Persona de Takuto.

Na verdade, antes da fusão entre o Memento e o Tokyo, não havia nenhum catalisador que desse uma forma tangível ao Persona.

Após a derrota de Yaldabaoth pelo Coringa e Satanael, o poder passa diretamente para Takuto, que se torna o novo Deus do controle de fato. Isso acontece graças ao vazio temporário criado imediatamente após a queda da divindade anterior.



O momento t√£o esperado

Agora a Persona de Takuto tem controle total não só sobre seu portador, mas também sobre o Memento, controlado e sondado graças a "cabos" conectados diretamente ao Palácio de Odaiba. Ao fazer isso, os desejos das massas podem ser atendidos rapidamente e em tempo hábil.


Portanto, este novo semestre nunca existiu na vers√£o original porque √© uma constru√ß√£o de Takuto Maruki na qual os desejos dos Ladr√Ķes Fantasmas se tornaram realidade.

Azatoth representa o deus criador do mundo material, mas que n√£o apresenta nenhum pensamento racional e age inconscientemente do ponto de vista humano. Justamente por isso, Azatoth representa o mundo artificial criado por Takuto Maruki cheio de alegria e sem dor.

Além disso, O poder de Azathoth também permite que os mortos sejam trazidos de volta à vida, uma vez que não é uma questão de percepção, mas da realidade física real.

Uma vez que voc√™ completou seu Pal√°cio e atingiu o n√≠vel mais alto, chamado √Čden, o jogador enfrentar√° Takuto Maruki em toda sua gl√≥ria.

Mas por que Azatoth se transforma em Adam Kadmon? A resposta est√° no fato de que o √ļltimo representa a sabedoria infinita, ao contr√°rio de sua forma anterior. Al√©m disso, ele tamb√©m pode ser interpretado como o Messias, e voc√™ tamb√©m pode notar isso nas frases que ele dir√° durante a batalha.

Takuto, juntando a tocha olímpica (seu tesouro, portanto) a Azatoth, consegue alcançar o conhecimento supremo e a ambição necessária para atingir seu objetivo.

Outra raz√£o pela qual Adam Kadmon foi escolhido provavelmente est√° na refer√™ncia a Ad√£o, uma figura b√≠blica que est√° ligada ao √Čden.

Apesar do despertar de sua Persona, o conselheiro da escola n√£o foi capaz de impedir a tentativa dos Ladr√Ķes Fantasmas e decidiu se entregar totalmente a Adam Kadmon.

Ao se deixar absorver, ele desperta a Pessoa mais uma vez, tornando-a tremendamente mais forte. A √ļnica maneira de derrot√°-lo ser√° atingir diretamente Takuto Maruki, localizado nas entranhas de Adam Kadmon.

Graças à demora do grupo, Joker consegue escalar com o gancho em cima do colosso e acertar a máscara do portador, encerrando a batalha.

Não é tudo, Takuto não desiste e decide impedir a fuga do grupo. Joker decide enfrentá-lo em um confronto frontal, mas devido ao colapso iminente do Palácio nenhum deles será capaz de usar seus poderes.

Segue-se uma batalha simb√≥lica na qual a √ļnica arma que voc√™ ter√° s√£o os punhos. Depois de "recobrar o ju√≠zo", o m√©dico com os velhos h√°bitos, Joker ser√° capaz de salv√°-lo de uma queda repentina no vazio.

O que acontecerá com Takuto Maruki após o final?

Após a derrota de Takuto Maruki, podemos vê-lo na final como um taxista que ajuda o protagonista a semear seus perseguidores. A mudança de coração aconteceu corretamente, pois seu tesouro foi perdido e realmente mudou.

Também podemos notar como Takuto Maruki é diferente dos outros donos de Palazzi, já que não apenas não vemos sua versão cognitiva, mas nem mesmo vemos qualquer intenção particularmente maligna.

Apesar da corrup√ß√£o da Pessoa, sua disposi√ß√£o permanece benevolente no fundo e resume o ditado "o caminho para o inferno est√° cheio de boas inten√ß√Ķes". Na verdade, Takuto com seu "orgulho" insiste em impor sua realidade a todos para faz√™-los felizes, mesmo que algumas pessoas queiram resolver seus problemas por si mesmas.

Goro Akechi est√° vivo ou morto?

Boa pergunta, infelizmente não sabemos muito bem pelo que vimos no Persona 5 Royal. Teoricamente Akechi teria morrido, já que foi ressuscitado por Takuto na tentativa de fazê-lo se encontrar mais uma vez com Akechi para o "desafio" que os dois haviam prometido.

Se você se lembra, um dos requisitos para obter o final verdadeiro era se relacionar com Akechi. Na verdade, os dois prometem se encontrar no futuro e se desafiar. Lembra quando Joker pensa no desafio com Akechi antes de adormecer?

Ent√£o, por que ter d√ļvidas sobre a morte de Akechi? Simples, no v√≠deo final do jogo Joker v√™ uma silhueta que √© claramente Akechi, apesar da foto mostrando apenas o vestido e n√£o o rosto.

Imediatamente ap√≥s, o protagonista olha para a janela do trem e v√™ seu reflexo, mas com a fantasia de Metaverso. √Č f√°cil entender como Atlus quer deixar a hist√≥ria em suspense mais uma vez, indicando ao mesmo tempo que o Metaverso ainda n√£o foi completamente destru√≠do.

Uma possível explicação lógica para a sobrevivência de Akechi reside no fato de que Akechi pode ter se escondido em algum lugar do Metaverso, escapando de sua versão cognitiva e de Shido. Na verdade, não se sabe quem é o tiro vindo do outro lado da porta de segurança.

Al√©m disso, Akechi como um curinga tem poderes semelhantes aos do Coringa, apesar de ter sido reduzido a condi√ß√Ķes prec√°rias pela luta anterior imediata com os Ladr√Ķes Fantasmas.

Takuto pode muito bem ter revivido uma versão fictícia de Akechi, enquanto na realidade original Goro pode ainda estar vivo e bem.

Infelizmente, n√£o h√° confirma√ß√Ķes oficiais e essas s√£o apenas algumas de nossas especula√ß√Ķes a respeito.

Final ruim

Nesse final n√£o vemos nenhum outro membro do grupo, mas, sabendo das inten√ß√Ķes de Takuto, eles provavelmente viver√£o pacificamente e felizes em sua ignor√Ęncia.

S√≥ veremos Takuto Maruki que nos desejar√° uma boa estadia na realidade que criou. O protagonista vai adormecer e nada se saber√° sobre os Ladr√Ķes Fantasmas ...

Falsa realidade final

Ao aceitar a oferta do médico evitaremos o confronto com a Cinderela e passaremos o resto dos nossos dias na realidade ficcional inventada por Takuto. O grupo se formou na al Shujin e a foto comemorativa foi tirada pelo próprio médico.

Todos vivem felizes para sempre com seus entes queridos, incluindo o próprio Takuto Maruki.

Na verdade, esse seria tecnicamente o final feliz, mas é mesmo? Abordaremos esse assunto delicado em outro artigo futuro!

O futuro do Persona 5

As surpresas n√£o param por a√≠, visto que Persona 5 Scramble no Jap√£o j√° foi lan√ßado, um spinoff, mas um t√≠tulo can√īnico que segue os acontecimentos do jogo original.

Ainda não há certeza sobre isso, embora Atlus tenha declarado que é uma continuação de Persona 5.

Mas, dado o final Persona 5 Royal, é seguro dizer que poderia ser uma continuação da versão Royal, já que os dois jogos convergem para os mesmos eventos no final.

Possíveis referências à Persona 2!?

Uma das quest√Ķes espinhosas deste t√≠tulo diz respeito √† presen√ßa de algum velho conhecido da Pessoa 2 (HEAVY SPOILERS) Se voc√™ ainda n√£o jogou o t√≠tulo, pare aqui, n√£o v√° mais longe, porque vamos estragar muito a respeito da trilogia cl√°ssica Persona.

Simplificando, muitos fãs estavam esperando para encontrar Nyarlathotep, o chefe final de ambos Persona 2, como tentáculos foram avistados nos trailers. No final, Azathoth ainda é o pai de Nyarlathotep na tradição Lorecraftiana e seu filho também é seu mensageiro.

Também vimos outra possível referência à Persona 2: Innocent Sin, mas é nossa especulação. Quando Takuto prende Sumire, ele a mantém como refém graças aos tentáculos de Azatoth que formam uma cruz, uma cena que pode te lembrar de algo.

√Č a mesma coisa que Nyarlathotep mostra no final de Innocent Sin quando revela a Jun seus pais, em particular o pai, de quem ele assumiu a semelhan√ßa.

O que teria servido ou teria gostado

O novo semestre é uma adição bem-vinda e completa um jogo que era basicamente quase perfeito.

Reclamamos do tratamento abrupto usual da parte final da história, que, embora não afete a experiência de jogo de forma alguma, poderia ter sido evitado para dar mais espaço aos novos personagens introduzidos neste relançamento.

O problema inerente a Goro Akechi tamb√©m pode estar a√≠, afinal serve para criar a aura usual de mist√©rio e fomentar o hype da fanbase para poss√≠veis explica√ß√Ķes futuras.

A escolha de um final que dê margem à imaginação é realmente excelente do ponto de vista lógico, pois permite acrescentar quaisquer detalhes sem estragar outros elementos considerados anteriormente.

O manejo do antagonista √© realmente excelente, o que n√£o se encaixa na equa√ß√£o usual "adulto = mau", mas consegue ir al√©m e se aproxima parcialmente dos Ladr√Ķes Fantasmas.

Isso também se deve ao fato de Takuto ser muito jovem e, portanto, mais próximo dos problemas adolescentes do grupo. Em certo sentido, Takuto representa um pouco do consultor da escola ou do professor mais capaz dos outros, disposto a nos ouvir por horas sem pedir nada em troca.

Afinal, em Persona 5 Royal os personagens que pregaram muita força de vontade para lidar com os problemas são os primeiros a se refugiar em uma realidade ideal.

Sumire se encaixa perfeitamente na mesma categoria de Takuto e, assim como ele, consegue sair do círculo vicioso de uma ilusão feliz.

O que posso dizer, Persona 5 Royal evolui o que vimos com a versão original e nos oferece vários alimentos para reflexão sobre a sociedade (não apenas japonesa) e sobre a força de vontade individual.

Apesar das in√ļmeras adversidades, os Ladr√Ķes Fantasmas decidem retornar a uma realidade "real" ao inv√©s de confiar na felicidade "abstrata".



Adicione um comentário a partir de Persona 5 Royal - Explicação do final e da nova parte
Comentário enviado com sucesso! Vamos revisá-lo nas próximas horas.