gamerslance.com

Monster Hunter Rise - Demonstração testada


Finalmente conseguimos encontrar a nova criatura da Capcom, que após 3 anos de ausência nas plataformas Nintendo se prepara para retornar em grande estilo.

Após o lançamento do Gerações Monster Hunter Ultimate, a série mudou para consoles domésticos e PC, graças a Monster Hunter World.

Este último iria evoluir e atrapalhar o sistema de combate que se mantinha inalterado até então, conseguindo inclusive limpar a série que, antes da chegada de Mundial, era maltratada no Ocidente.




Enquanto um novo capítulo chegava até nós, ao mesmo tempo a sequela daquele capítulo chegava no Oriente, que introduzia vários novos recursos, melhorias e o tão desejado G-Rank, totalmente ausente em nossos capítulos. O signatário tinha até comprado um Nintendo 3DS japonês para poder jogar esses novos capítulos com antecedência.

Em seguida, devemos um grande agradecimento ao Monster Hunter World que com tudo o que ele conseguiu propor, incluindo atualizações gratuitas e a enorme expansão Iceborne conseguiu dar um sinal à Capcom, informando-a de que o mercado oriental está faminto por Monster Hunter.


Com Monster Hunter Rise, provavelmente o mesmo acontecerá novamente, já que o novo título tenta agradar tanto os fãs de capítulos clássicos quanto novos do mundo.

Muito bem com este preâmbulo, nós da Binfogamer.com estamos aqui para dar a você nossa primeira opinião sobre este novo capítulo!


De volta à caça!

Baixamos a demo e começamos, imediatamente nos sentimos em casa, somos apresentados ao novo jogo com um menu animado, que apresenta uma nova figura do jogo, Minoto, que nos encanta com uma música maravilhosa.



Aqui teremos duas opções, a primeira é a caça solo, a segunda, a caça online. Obviamente, testamos os dois modos porque o jogo prospera quando jogado no modo multijogador.

As missões para ambos os modos permanecem as mesmas, teremos duas missões tutoriais, úteis para experimentar as novas funcionalidades, como o Wyvern Rider e os wire bugs.

Finalmente, podemos fazer duas caças, um com o Gran Izuchi enquanto eu mostro o alvo e o outro com o Mizutsune retornando de Monster Hunter Generations em toda a sua glória e maldade.

Uma vez escolhida a missão, somos confrontados com a escolha da classe a usar, todos estão presentes e 14 aulas icônicasExceto surpresas de última hora, Rise não deve ter novas.

Cada classe já tem um conjunto predefinido que não pode ser inspecionado por habilidades, nomes de peças e estatísticas, possivelmente escondendo a presença de alguns monstros ainda não anunciados pela Capcom, mas que pode ser facilmente identificado olhando de perto a armadura de seu caçador.

Melhor revisar

Não tendo tocado em um capítulo clássico de Monster Hunter após o advento de World, preferimos seguir os dois tutoriais primeiro para voltar ao jogo por um momento e acima de tudo recomendamos a quem está se aproximando da série pela primeira vez.


Ambos os tutoriais não são muito longos, você terá il Maestro Utsushi para ser o seu guia, que vai te ensinar o básico do jogo e vai fazer você sentir isso com a mão o passeio Wyvern.



Na primeira, que em comparação com a segunda nos disponibiliza toda a área, enquanto a segunda se limita a uma arena, aproveitamos para rever através das notas de caça.

Dentro, você encontrará todas as informações sobre o jogo, úteis tanto para iniciantes quanto para os mais experientes, principalmente para entender melhor alguns aspectos inéditos do novo capítulo, coma a fauna endêmica, o inseto de arame e o novo corcel de confiança que te acompanhará durante as caçadas com o inevitável Felyne.

Canyne e Felyne

Com grande surpresa os companheiros icônicos de cada retorno do caçador, o Felyne, que infelizmente não pode ser personalizado na demo, mas são dados aleatoriamente, você nem poderá acessar o menu deles para ser capaz de espiar o conjunto de armadura e estatísticas.

Além deles, eu Cayne, animais quadrúpedes, que podem ser montados. Você só precisa pressionar o botão A para subir nas costas do seu fiel corcel, para poder correr ao redor do mapa do jogo.

O funcionamento da montaria é o mesmo visto em Monster Hunter World, exceto por algumas funções extras, como ser capaz de afiar a arma enquanto exploramos ou ser capaz de coletar os vários ingredientes, minerais e assim por diante sem ter que sair do Cayne.


Além da possível interação durante o passeio, você pode pular, escalar paredes para chegar a pontos altos, aproveitando assim a verticalidade do novo mapa e ainda podendo atacar vários monstros.

Seu comportamento quando controlado pela IA é semelhante ao do Felyne, então ele o ajudará na batalha atacando o alvo.



Na demonstração não foi possível verificar se este novo companheiro também pode ter um equipamento, competências ou a possibilidade de poder ser personalizado.

The Foil, the Endemic Fauna and the Thread Insect

Além do Cayne, pudemos experimentar o Fioretto, um novo instrumento, que permite-nos absorver o poder dos vários Spiriuccelli, novas criaturas que darão aos caçadores vida, resistência, buffs e muito mais.

Uma vez encontradas, essas novas criaturas podem ser usadas imediatamente ou mais tarde, como se fossem itens consumíveis.

Definitivamente, saúdo esta nova integração no jogo cele também dá um papel importante à área circundante, já que poderemos explorar os vários animais a nosso favor, por exemplo, em uma caçada, atraímos o Rathian para o Mizutsune por meio de uma fetorbéstia.

Assim que as criaturas se encontraram, elas entraram em batalha, dando-nos a chance de causar dano gratuito a nós dois.

Outra função que se move bem com a verticalidade do mapa, que pela primeira vez nos consoles Nintendo não tem mais momentos de carregamento entre uma área e outra, é que ligado ao inseto de arame o que nos permitirá escalar muitas paredes desprovidas de vinhas, mas que não nos fará chegar tão alto.

Na verdade, muitas vezes nos deparamos com o solo após usar o Wire Insect, já que a ação se limita a um impulso em direção à direção escolhida, se o caçador se deparar com um agarre, este será escalado de forma autônoma. por outro lado, não há nada presente, se não uma parede muito grande, você retornará com um salto para o chão.

No momento, é a única função que não nos convenceu totalmenteobviamente, sendo uma demo, só temos um único mapa disponível, então esperamos que na versão final do jogo, essa mecânica seja refinada e explorada adequadamente nos outros mapas.

Outro uso do Wire Bug está relacionado ao Wyvern Ride, o novo recurso que vai para substitua a montagem antiga, introduzido na série com Monster Hunter 4.

A ferramenta permitirá que você use dois movimentos Marfim que diferem para cada tipo de arma em uso. Cada movimento do Silkweave consumirá uma carga, que pode ser temporariamente aumentada por meio dos Thread Bugs, que você encontrará espalhados pelo mapa.

Depois de acertar vários movimentos do Silkweave, você pode controlar o monstro e montá-lo. Sim, você pode subir em um Rathian e vagar pelo mapa, fazendo com que ele lute contra os monstros que encontrará ao longo do caminho.

A nova mecânica é uma evolução clara da viagem anterior, que foi limitado a um mero esmagamento de botões a fim de pousar o monstro desta forma.

Só esperamos que esteja disponível para qualquer criatura do jogo e que não se limite às de dimensões menores, já que Monster Hunter também nos habituou a monstros realmente enormes.

O motor RE mostra sua potência no switch

Pelo pouco que pudemos ver através da demonstração, do lado técnico, no momento, podemos dizer que o título apresenta modelos bem feitos, cheios de detalhes e ambientes (as ruínas sagradas) bem pensado, que graças à introdução da Fauna Endémica ganha ainda mais vida do que antes.

O título roda no Nintendo Switch a 30 FPS fixos, nunca notamos um declínio durante nossas sessões de caça, seja sozinhos ou em companhia, então vamos dizer que estamos em um bom ponto no que diz respeito à otimização do título, que é totalmente gerenciado do motor RE.

O jogo recupera uma resolução de 960 × 540 no modo portátil e em 1344 × 756 no modo encaixado, em ambos os casos a taxa de quadros não muda, mas em vez de uma melhoria geral, a resolução de renderização da interface do usuário muda, na verdade, no laptop será em 720p, enquanto no dock será em 1080p.

Dois meses antes do início da caça

Com este teste estamos satisfeitos com o trabalho realizado pela Capcom, que no papel e joy-con na mão mostra um produto que está pronto no aspecto técnico, em vez da jogabilidade esperamos que seja ainda mais refinado antes de sua estreia .

Agora só temos que esperar até 26 de março para podermos voltar à caça de monstros e quem sabe quais projetos futuros a Capcom terá em relação a possíveis atualizações ou DLCs.



Adicione um comentário a partir de Monster Hunter Rise - Demonstração testada
Comentário enviado com sucesso! Vamos revisá-lo nas próximas horas.