gamerslance.com

Kill la Kill IF - Revisão


Os meninos de Arc System Works, produtores de títulos como BlazBlue e Dragon ball fighter z, desta vez colaboraram com a casa de animação Gatilho para criar o jogo de luta de Matar La matança, um dos títulos emblemáticos da casa de animação japonesa após deixar o estúdio Gainax

Mas será que dessa vez eles conseguiram fazer um bom trabalho também, mantendo a fidelidade do anime? 




Outro ponto de vista

Se você já viu os episódios da série animada, saberá que um de seus pontos fortes está no narração junta a serviço de ventilador

O incipit é baseado na existência de roupas especiais denominadas Gokuseifuku (ultra uniforme), que dão habilidades sobre-humanas para quem os usa graças ao chamado biofibra, ou seja, o material de que são feitos. 

No centro da história desta vez teremos Satsuki Kiryuin, o presidente do conselho estudantil que governa com punho de ferro o Escola Secundária Honnoji.

Quase todos os alunos dentro da escola tem um Gokuseifuku, cujas notas variam de 1 a 3 estrelas. Com base em seu nível, é possível entender qual o papel que desempenham dentro da escola. 

Para quebrar essa tranquilidade, criando o caos dentro da escada hierárquica, virá Ryuko Matoi, armada com meia espada de tesoura e ansiosa para descobrir a verdade sobre a morte de seu pai. 

Recuperando o enredo da série animada, o modo de história Kill la Kill IF foi escrito pelo próprio escritor do anime Kazui Nakashima. A aventura começa no episódio 8 e segue ramificações de textura diferente, recontando eventos sem precedentes do ponto de vista de Satsuki. 




 A história será contada por meio de cena animada que tentarão ter o traço fiel do anime, mas não conseguindo totalmente no setor visual, devido a várias cenas bastante esparsas ou animadas que não ficam muito bem.

Raramente ouvimos o sentindo-me que nos foi dado olhando para o produto de estúdio Trigger. 

Um gostinho das modalidades

Durante a nossa aventura, iremos experimentar os vários modos que iremos desbloquear à medida que avançamos. Vão desde os clássicos 1 vs 1 lutas para batalhas 1 4 vs na arena, terminando em um modo de sobrevivência.

As várias batalhas dentro da arena muitas vezes não serão totalmente divertidas, devido a um câmera mal manuseada, onde frequentemente nos encontramos na situação de ter perdido de vista nosso personagem no meio da cena. 

Uma grave escassez de personagens

A falta de conteúdo real é o grande problema dentro do título.  

Na verdade, teremos apenas disponíveis Caracteres 8 para ser usado em batalhas e partidas online: inicialmente poderemos usar os dois protagonistas e os Quatro membros da DEVA do conselho estudantil, Nui Harime e Ragyo Kiryuin.

Também será possível ter duas variantes para Satsuki e Ryoko somente após terminar o modo de história, aumentando assim a lista para Lutadores 10.

Porém, contando com o fato de estarmos analisando um jogo de luta, estamos falando de um número muito pequeno de personagens disponíveis, além dos muito poucas arenas disponíveis, apenas 6. Essa falta de variedade afeta negativamente a longevidade do estoque.



Felizmente o Julho 26 mais dois lutadores estarão disponíveis através de um DLC grátis, adicionando membros do Nudist Beach, Aikuro Mikisugi e Tsumugu Kinagase, que lutarão juntos, aumentando assim a lista de personagens para 12.




Certamente será uma melhoria em relação a antes, mas ainda haverá poucos lutadores para um jogo de luta.

Um produto que não é muito bem cuidado

O produto mostra lealdade à linha do anime, só que nem sempre é visualmente agradável a partir de algumas animações não muito fluidas, modelos faciais não muito cuidados, um Antialiasing excessivamente marcado durante as filmagens do jogo e fundos extremamente nus, sem elementos acompanhando a cena.


 Como se isso não bastasse, a otimização também não é excelente, com quedas frequentes na taxa de quadros em comparação com o alvo de 60 fps.

Positivo, podemos notar um sombreada-cel muito bem feito pelos caras da A + Games. 

No geral, será em qualquer caso um produto visualmente agradável e tudo será acompanhado pelas sublimes trilhas sonoras retiradas do anime. 

Resumindo

O produto criado pelos caras da Jogos de A + pode ser considerado um agradável jogo de luta, que será ainda mais apreciado por aqueles que são fãs da versão animada da qual capta quase toda a sua essência.

O sistema de controle não será dos mais profundos, ao contrário de outros títulos de Arc System Works, mas será prático e intuitivo, de modo a criar facilmente confrontos espetaculares.

Deixando de lado os vários problemas técnicos, isso resultará uma aventura divertida para os fãs de Kill la kill que irá apreciar o jogo da A + Games.

A baixa quantidade de conteúdo diminuirá a longevidade do título e levará muito pouco tempo para ver o que ele tem a oferecer Mate la Mate SE



Adicione um comentário a partir de Kill la Kill IF - Revisão
Comentário enviado com sucesso! Vamos revisá-lo nas próximas horas.